MUSEU DA IMAGEM E DO SOM DE CAMPINAS - PALÁCIO DOS AZULEJOS Twitter Facebook
Atividades > Eventos/Atividades Especiais > Intervenção - Cláudia: Não Esqueceremos!
Bookmark and Share
09/05/2014 (18:00)

Intervenção - Cláudia: Não Esqueceremos!

O objetivo do trabalho é chamar a atenção para os abusos cometidos pelas forças de repressão do Estado

Intervenção - Cláudia: Não Esqueceremos! Intervenção “Cláudia: não esqueceremos!”

No dia 16 de março de 2014, Claudia Silva Ferreira foi baleada e arrastada até a morte por uma viatura da polícia, no Morro da Congonha-RJ, comunidade onde vivia. O site “Think Olga” fez uma homenagem a Claudia, ao colocar mais de 100 desenhos, realizados por diferentes pessoas, que retratam a moradora e denunciam o que ocorreu (veja aqui http://thinkolga.com/2014/03/22/mais-100-vezes-claudia) A partir disso nós, do Coletivo de Comunicadores Populares, propomos uma intervenção político-artística, ao imprimir estes desenhos no formato de cartaz “lambe-lambe” e colar num grande painel, em algum muro da cidade de Campinas. Além disso, será exibido na rua o curta “O porquê da desmilitarização da polícia” do Xavante TV.
O objetivo do trabalho é chamar a atenção para os abusos cometidos pelas forças de repressão do Estado. Além disso, tornar visível, nas ruas da cidade, o rosto de uma mulher negra, pobre e periférica, que a sociedade insiste em tornar invisível e que é mais um caso de uma população negra exterminada todos os dias. Através do contato direto na cidade, tentamos criar uma nova relação com as pessoas nas ruas, que têm o seu cotidiano quebrado por imagens que buscam gerar reflexão e chamar para a ação de transformar.

20 hs
Cineclube Mostra Luta
A Mostra Luta completará 7 anos em outubro de 2014. Organizada pelo Coletivo de Comunicadores Populares desde 2008 no Museu da Imagem e do Som de Campinas, terá um formato itinerante a partir deste mês: um Cineclube mensal que irá rodar por vários pontos da cidade de Campinas (SP), fomentando debates por meio de produções audiovisuais sobre as lutas sociais. A intenção inicial é propor exibições em outros espaços da cidade, com temáticas mais pontuais, e envolver, debater, trocar movimentar e refletir outras pautas e questões da cidade, num exercício mensal que descentralize e desinstitucionalize os espaços de exibição de cinema, levando o cinema a outros públicos.
Serão seis exibições até a Mostra Luta anual, que acontecerá em outubro. A primeira sessão, lançamento do Cineclube, será no Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS), no dia 9 de maio, sexta-feira, às 20h00, com os filmes “Distopia: 021” “Você Pode Dar um Presunto Legal”, e “O porquê da desmilitarização da Polícia. Os filmes exibidos trarão para o debate temas como o legado autoritário da ditadura, a violência policial e a necessidade de repensar estas instituição, além dos projetos especulativos e higienistas nas grandes cidades brasileiras, que promovem medidas de exceção contra a população pobre e negra.
Após isso, no mês de Maio, o Cineclube Mostra Luta começará o percurso pela cidade e já confirma exibição em um dos bairros da ocupação do Campo Belo, o Jardim Columbia, com data e horário ainda não confirmados.
Primeira sessão do Cineclube Mostra Luta- 20 hs- MIS- Campinas

Filmes:
Distopia: 021 (Victor Ribeiro, 21 min.)- Uma cidade que vive uma tensão cotidiana, um projeto de apagamento da memória coletiva e o afastamento sistemático dos pobres do mar. Distopia :21 é um video documentário sobre a revitalização da zona portuária do Rio de Janeiro no horizonte dos megaeventos esportivos internacionais (Copa do Mundo de 2014 e Jogos Olímpicos 2016).
O porquê da desmilitarização da polícia (Xavante TV, 6 min.)- Um dos assuntos que tem vindo à tona nos últimos tempos é a desmilitarização da Polícia. E pensar no nosso modelo de segurança pública também é questionar-nos sobre o modelo de sociedade que queremos construir.
Você também pode dar um presunto legal (Sergio Muniz, 39 min.)- O filme, realizado clandestinamente em 1970-1971 (reeditado em 2006), defende a tese de que o Esquadrão da Morte, chefiado em São Paulo pelo delegado Sérgio Paranhos Fleury foi um ensaio geral para a violenta repressão política que veio a seguir.

Realização: Coletivo de Comunicadores Populares
Evento- https://www.facebook.com/events/462040837274811/?fref=ts
MIS- Museu da Imagem e do Som de Campinas
Rua Regente Feijó, 859
Centro

camisetas